O EDIFÍCIO - Suzy Ramone

04:26

Primeira resenha do ano!
Estamos na metade de Janeiro e vários motivos atrasaram a primeira resenha de 2017, mas isso é outro assunto. O que trago hoje é O EDIFÍCIO, obra da escritora Suzy Ramone.


O EDIFÍCIO











A AUTORA
 
Susy Ramone é o pseudônimo de Susana Lima, nascida em São Paulo - Capital em 1977. Professora de inglês, artesã e escritora, teve a sua primeira publicação impressa, intitulada O anjo maldito, em 2010. Participou de diversas antologias de contos fantásticos e como colunista em sites e blogs, colaborando também com textos de teor informativo. Em 2012 teve seu livro O Castelo Montessales publicado pela Editora Literata. Em 2013 foi a vez de Samyaza (relançamento previsto para 2015 pela Madras Editora) e também da antologia que organizou, chamada A Linhagem Montessales – Retratos da Inquisição, que conta com a participação de 12 autores nacionais. Poison Heart veio a público em 2014 e o seu livro mais recente é O Edifício, lançado em 2016 pela Editora Estronho. 

SINOPSE

Enquanto a ditadura militar arrasta acusados aos seus porões, Waldemar passa por momentos difíceis ao perder sua esposa dias depois da morte de seu filho. Um jovem ganancioso encontra na situação a oportunidade perfeita para trocar seu apartamento em São Paulo pela chácara do viúvo em Tatuí. Ele tem a intenção de fundar uma igreja evangélica no local e arrecadar dinheiro aproveitando-se da fé alheia.
O castigo do falso pastor não vem do plano terreno e sim do mundo dos espíritos. Mas Waldemar, que anda na retidão e na honestidade também é assombrado pela esposa morta e pelos quatro fantasmas do famoso Crime do Poço, tão logo ele se muda para São Paulo e começa a trabalhar no Edifício.
Qual mensagem os mortos querem passar? Até que ponto uma pessoa deve acreditar em seu semelhante?
Nem sempre as coisas acontecem como vemos.


RESENHA

O Edifício conta a história de Waldemar e Rogério, junto com Luiza, Wagner e Anita. Pessoas que se relacionam e criam vínculos físicos e espirituais. Por conta disso, continuam se comunicando, mesmo após a morte.
Não, não é um romance espírita. Também não foi psicografado. E conheço obras espíritas suficiente para afirmar isso. A autora Suzy Ramone usou como fato histórico o incêndio do Edifício Joelma, em 1974. Também faz menção à ditadura militar, vigente à época do ocorrido.
Alice, a narradora, vê espíritos e seu pai falecido, Rogério conta a ela a história de como ele viveu e morreu. No entanto, ao descobrir que ele não era tão bom quanto dizia, vai atrás da verdade e nos traz o que descobriu.
O Edifício tem uma trama bem executada. A autora consegue, de forma simples, nos colocar dentro da história de Waldemar. Um personagem, aliás bem construído, por quem, ao final, nos apegamos e queremos que seja feliz.
Rogério, o antagonista, vilão, vítima e pastor de araque - fica difícil simpatizar com ele - é tudo o que a sociedade tem de ambiguidade. O certo e o errado em uma única pessoa, que segue a vida tentando conseguir o sucesso a qualquer custo. Ao mesmo tempo em que se coloca em auxílio ao semelhante, também acaba destruindo a vida das pessoas com quem se relaciona. Por isso, é assombrado por espíritos que cobram dele uma atitude positiva e desprovida de segundas intenções.
A cada capítulo, queremos saber qual a ligação de todos com o título da obra e com o incêndio do Edifício Joelma em 74.
A leitura flui, sem entraves, sem confusões. Não há dúvidas na sequência dos acontecimentos. A tensão nos direciona a seguir em frente. E, acredite, tem momentos muito tensos. O que vai acontecer com Rogério? Será devidamente punido?
Em determinados momentos, até acreditei que Rogério se converteria ao bem, movido pela fé. Que algum tipo de milagre o salvaria. Suzy Ramone nos faz ter esperança em algo melhor, #sqn porque Rogério tem convicções muito maiores do que podemos imaginar.
Waldemar é o oposto. Ao perder o filho e a esposa, tenta virar a página e Anita tem um papel fundamental para que ele supere a dor e o sofrimento pelo qual passou. Ele é um homem forte, vigoroso e Anita faz coro a essas qualidades. O envolvimento dos dois é a união das peças de um quebra-cabeça. Eles se completam, se transformam, se melhoram. Juntos são o que poderia se chamar de perfeição, mas como perfeição não existe, a autora prepara um final para os dois inesperado.
Não posso dizer que fiquei satisfeita com o desfecho, mas entendo perfeitamente os motivos. Infelizmente, não posso falar sobre esse tópico, ou eu tiraria dos leitores a surpresa de lerem até a última linha.
O único ponto que me deixou confusa, e espero que a autora possa esclarecer em momento oportuno, é o fato de descobrir que Rogério não conseguia ler. Fiquei na dúvida sobre isso. Ele lia a Bíblia para fazer os sermões e ao final, Alice descobre que ele apenas via traços estranhos. Seria esse um sinal de que espíritos não conseguem ler? Ou seria a sequela que ele leva na vida após a morte pela forma como ele morreu?
Um livro muito bom. Parabéns à autora!
Indico a leitura.

 Site da autora - http://susyramone.blogspot.com.br/

Publicações que possam lhe interessar

0 comentários