SOBRE ANTOLOGIAS

13:48

Os escritores iniciantes possuem o desejo desenfreado de serem publicados, o que é fato e não poderia ser diferente. Isto também aconteceu comigo e não mudará só porque eu estou falando a respeito.
A pressa de ver um texto ser publicado é o que leva muitos escritores, assim como eu, a pagarem por publicações. Começamos com antologias e depois partimos para o livro solo, aquele tão sonhado, que nos levará à fama.
E é por causa da pressa que cometemos grandes equívocos.
Alguns meses antes de ter meu livro publicado, escrevi um conto. Ele estava parado em um arquivo, esperando finalização. Decidi, que era chagada a hora de colocar um ponto final na história e publicá-lo, mas em qual antologia? Será que haveria uma apropriada ao tema? Então comecei as buscas e, por já haver publicado outros contos, acabei buscando uma editora conhecida.
Enviei o material, recebi a confirmação da publicação, as formas de pagamento pelos dez exemplares que deveria adquirir e as regrinhas obrigatórias a serem seguidas por ter aceitado os termos do contrato.
Confesso que me senti uma colegial. Uma adolescente que acabou de entrar no ensino médio e que precisa de orientações de como agir diante das novidades que se apresentam. Ao ler as regrinhas, ri sozinha. Sou iniciante, sim, mas nem tanto. Sei que é preciso divulgação para vender o que produzo, mas aí a ter que ser conduzida pela mão, achei um tanto sem sentido.
Passou-se algum tempo e eis que olho a quantidade de contos inscritos e aprovados: 94. Sim, noventa e quatro. Um livro de 432. Exatamente isso. Quatrocentas e trinta e duas páginas.
Fiquei pensando: quantos leitores terão vontade de ler um livro com 94 contos, com 432 páginas? George R. Martin ficaria surpreso com tantos textos reunidos em um único volume! Houve algum tipo de seleção? Ok. A antologia não tinha um tema específico, o que me agradou, porém como fica a qualidade dos textos? Serão realmente bons? Não, nem de longe meu conto é o melhor da antologia. O objetivo não é enaltecer as qualidades do meu conto, mas a valorização de cada um, como deveria ser. Por que não abrir dois livros, com tema livre?
Cada um destes 94 contos é apenas mais um, em um mar de outros tantos. E aí entra a valorização do escritor. O desejo da publicação passa por cima de qualquer pensamento racional. Do amor próprio.
Não me sinto confortável em escrever este texto, porque não gosto de criar divergências, porém é meu direito, como escritora de dizer o que penso sobre assuntos que me incomodam. E este, em específico, me incomoda.
Aliás, um dos motivos que me fizeram parar de publicar meus contos em antologia é o "pagar para”. Sim. Participei, porque quis. Poderia ter colocado gratuito na Amazon, no Wattpad ou no meu blog. Quis, no entanto fazer algo pelo meu conto, porque achei que ele merecia estar em uma antologia.
Como diz um amigo meu: se você precisar pagar para publicar, não é bom.
Terei, dentro de alguns dias, 10 exemplares desta antologia. Terei que colocá-los à venda, quer eu goste ou não do que aconteceu. Uma certeza ficou: publicar outro conto meu, só no meu blog ou em outra plataforma digita.




Publicações que possam lhe interessar

5 comentários