O CASTELO DAS ÁGUIAS - RESENHA

05:43


O Castelo das Águias
Ana Lúcia Merege
Literatura Fantástica
Editora Draco - 2011

A AUTORA, SEGUNDO ELA MESMA:
Sou carioca, aquariana e nasci em 1969. Quando criança queria ser arqueóloga, mas a paixão pelos livros falou mais alto e em mais de um sentido: além de bibliotecária, tornei-me escritora, contadora de histórias, pesquisadora e mediadora de leitura. Meu trabalho em todos esses campos é voltado principalmente para os contos populares e a ficção fantástica.
Está em curso a publicação de minha série de fantasia para jovens leitores, pela Editora Draco, que foi iniciada com "O Castelo das Águias" (2011) e seguiu com "A Ilha dos Ossos" (2014). A série conta ainda com o livro infantojuvenil "Anna e a Trilha Secreta" (2015), as novelas "O Jogo do Equilíbrio" e "O Tesouro dos Mares Gelados" e vários contos que estão em e-books e, em alguns casos, publicados no blog da série. Outros livros solo são "Pão e Arte" (Editora Escrita Fina, 2012), “O Caçador” (Franco Editora, 2009) e o ensaio “Os Contos de Fadas” (Claridade, 2010) Tenho também vários contos em sites, antologias e e-books, e ainda artigos para revistas técnicas e de divulgação científica, tais como a “Ciência Hoje das Crianças” e a "Revista de História da Biblioteca Nacional". Ministro cursos e palestras em instituições como a Casa da Leitura (sede do PROLER), a Universidade Estácio de Sá e a Estação das Letras. Por fim, organizei as seguintes coletâneas: dois volumes da série "Bestiário", em parceria com Ana Cristina Rodrigues (Editora Ornitorrinco), "Meu Amor é um Sobrevivente" em parceria com Janaína Chervezan (Editora Draco) e um solo, a coletânea arturiana "Excalibur", também pela Draco.

SINOPSE
O Castelo das Águias, romance fantástico de Ana Lúcia Merege, é um lugar especial. Localizado nas Terras Férteis de Athelgard, região habitada por homens e elfos, abriga uma surpreendente Escola de Magia, onde os aprendizes devem se iniciar nas artes dos bardos e dos saltimbancos antes de qualquer encanto ou ritual.
Apesar de sua juventude, Anna de Bryke aceita o desafio de se tornar a nova Mestra de Sagas do Castelo. Aprende os princípios da Magia da Forma e do Pensamento e tem a oportunidade de conhecer pessoas como o idealizador da Escola, Mestre Camdell; Urien, o professor de Música; Lara, uma maga frágil e enigmática, e o austero Kieran de Scyllix, o guardião das águias que mantêm um forte elo místico com os moradores do Castelo.
Enquanto se habitua à nova vida e descobre em Kieran um poço de sentimentos confusos e turbulentos, uma exigência do Conselho de Guerra das Terras Férteis põe em risco a vida e a liberdade das águias. Com o apoio de Kieran, Anna lutará para preservá-las, desvendando uma trama de conspiração e segredos que envolvem importantes magos do Castelo.

RESENHA
A escritora Ana Lúcia Merege está de parabéns pelo delicioso livro O Castelo das Águias. O prólogo cativa, pela tensão da cena. Atiça a curiosidade sobre as águias, o mago e como os acontecimentos se desenrolaram até chegarem no ponto em questão.
Conforme a leitura avança, vamos conhecendo Anna e sua história e as explicações sobre a escola, os mestres e o início da atração entre Anna e Kieran. Também conhecemos um pouco sobre os motivos de as águias não poderem sair da proteção do mestre das águias.
A construção dos personagens é cuidadosa e fa com que simpatizemos com eles.
Anna tem convicção em suas crenças, mas mostra-se ingênua diante das diferenças existentes entre os habitantes do reino.
O inimigo é apresentado e temos certeza que será uma pedra no meio do caminho de Kieran e de Anna.
A narrativa segue parelha, com uma linguagem clara, simples e objetiva, sem deixar de encontrar e buscar pela continuação e desenlace dos conflitos que ficam em suspenso.
Gostei de ver presente no livro a Jornada do Herói e como Anna a aceita. A transformação de Anna também me agrada. Ela vai perdendo a ingenuidade e ganha segurança, porém nada abrupto, o que a torna mais real.
A história trás reviravoltas, conspirações, lutas internas e externas.
Como o texto é em primeira pessoa, não se tem qualquer vislumbre do que pode acontecer com os outros personagens. Conhecemos os possíveis culpados e vilões, através dos olhos de Anna e de suas experiências de vida.
Os capítulos possuem bons cliffhangers para amarrar o leitor a seguir para o próximo.
O vilão Hillias é convincente. Tem atitudes hostis, sem caráter e manipulador. Preocupado apenas com seus próprios desejos.
Uma história bem construída e que recomendo para quem gosta de literatura de fantasia e de romance.
Parabéns à escritora pela trama bem construída e pelos personagens que cativam e nos deixam presos para virarmos a próxima página.


Publicações que possam lhe interessar

2 comentários

  1. Muito obrigada pela resenha, Ceres!! Adorei saber que curtiu meu universo, meus personagens e minha escrita e espero que venha a ler os outros livros da série. Grande beijo!

    ResponderExcluir